segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Playmobil - da criação à inspiração



Após a Segunda Guerra Mundial, especificamente em 1973, estoura a crise do petróleo - principal matéria prima para a fabricação do plástico. Grandes indústrias, como a Geobra-Brandstätter que fabricava brinquedos em grandes dimensões, sofreram com o aumento no valor do plástico. Foi quando Hans Beck teve a brilhante ideia de fabricar brinquedos menores, em especial um boneco com 7,5 cm baseado em desenhos de crianças, no qual a cabeça era maior do que o corpo e o nariz era omitido. Estas foram as principais influencias para a criação do boneco Playmobil, em 1974.




Numa época em que muitas empresas faliram por falta de idéias e saídas enquanto todas as portas se fechavam, Hans Beck sobressaiu-se criando um boneco que sempre será visto como um objeto nostálgico da infância.
Por isso resolvi postar sobre a origem do boneco Playmobil, Hans Beck "O pai do Playmobil" prova que o homem precisa apenas de uma grande ideia e de um pouco de dinheiro para torná-la realidade.


Hans Beck



Em 2004 o designer de moda Jum Nakao introduziu à sua coleção "A Costura do Invisível" as perucas Playmobil, com o intuito de transportar os 1.200 expectadores à uma atmosfera nostálgica, remetendo à infância e aos contos de fadas, no qual ao fim do desfile as modelos rasgam as roupas (que são feitas de papel) remetendo o público à ideia inicial de Nakao, que enfatiza a teoria do caos em que vivemos nos dias de hoje. Um misto de realidade, com perfume de infância e uma viagem ao lúdico mundo da magia.


Confira a galeria com as fotos do desfile e o vídeo na íntegra!












Jum Nakao







Espero que tenham gostado!
Deixem seus comentários...
Beijos,
Ge Gotardelo.

domingo, 31 de julho de 2011

E o vento levou...



75 anos depois da estréia de um dos filmes de maior impacto no cinema, os vestidos de Scarlett O'Hara, a lendária personagem vivida por Vivien Leigh em "...E o vento levou", estão sendo restaurados para uma exposição que acontecerá em 2014.
Apesar de a maior parte dos vestidos (que foram adquiridos em 1981 pelo Harry Ransom Center, na Universidade do Texas) estar deteriorada pelo tempo, a universidade investiu 30 mil dólares na restauração de 5 vestidos famosos - entre eles o vestido de noiva e o verde de cortina.


Cara Varnell ficou responsável pela restauração, que exige muito cuidado, por serem peças extremamente delicadas.





A exposição acontece somente daqui a 3 anos, mas enquanto isso, confira a galeria com os looks de Scarlett, a musa dos vestidos que o vento jamais irá levar...



Scarlett O'Hara e Rett Butler, vivido por Clark Gable.



Look diurno e romântico da época, com bolero, chapéu e sombrinha.



Ícone de beleza na sociedade americana de "...E o vento levou!" Scarlett sempre estava acompanhada por rapazes em almoços e reuniões tradicionais.



O impactante vestido vermelho acinturado, com mangas amplas e cauda longa.



Scarlett sempre usava vestidos detalhados e amplos, um detalhe bem característico da época.


                                   
Scarlett durante a guerra, com um vestido floral - que também será exposto.



O mesmo vestido floral da foto acima, mais detalhado.



Gala, com plumas vermelhas e tules fluidos.


Vestido de veludo, um dos mais famosos da personagem.


Lindo né?
Cinema, arte, música... estão sempre coligados com a moda, que atravessa os tempos e acompanha a história da humanidade.
Espero que tenham gostado da galeria que selecionei pra vocês!

Beijos,
Ge Gotardelo.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Color Blocking



Tá aí a nova onda que promete invadir o estilo de todo mundo neste verão.
color blocking é uma tendência inspirada no cubo de Rubik (mais conhecido como cubo mágico) que surgiu lá nos anos 70.
No verão 2012 o cubo mágico torna-se referencia em estilo e indica que misturar as cores mais improváveis numa só produção resulta num visual retrô fashion. Isso nos remete às discotecas, às noites dançantes e aos globos coloridos, girando no teto e formando uma explosão de cores!!!


John Travolta em "Os embalos de sábado a noite" década de 70


Entre as influências mais prováveis para o verão encontra-se a banda Menudo e as lindas Charlie Angels

Menudo





Charlie Angels



A inspiração musical fica por conta do estilo New Romantic da banda Duran Duran, que estourou mundialmente com o single The Wild Boys no final da década de 70.





Inspirem-se nos looks color blocking que selecionei especialmente para vocês!









É... os tempos da mamãe estão voltando, e por mais que achássemos aquelas calças boca de sino com a cintura lá no estômago a coisa mais brega do mundo, estamos aos poucos nos rendendo ao melhor de cada década. 

Aposte no amarelo, no azul bic, no verde bandeira, no pink e no laranja, misture tudo e 
"NÃO SE REPRIMA!" :)


Não se esqueçam de me contar o que acharam disso.
Deixem seus comentários!!!

Beijos
Ge Gotardelo

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Uma espiada no inverno 2012



No inverno 2012, as mulheres invadirão os guarda-roupas dos seus maridos, irmãos, namorados e apossarão-se de suas gravatas, dos ternos, das camisas e calças sociais, ou seja, androginia sensual à tona!






Os estilistas apostam em coleções inspiradas na silhueta dos anos 40, resgatando toda a feminilidade suave e natural da mulher, remetem-se também aos anos 70 com as saias midi ajustadas ao corpo, trazem de volta as calças com boca de sino e as blusas com amarrações no pescoço.
Os olhares voltam-se para uma mulher mais séria e responsável, mas não menos romântica, consequentemente o romance bucólico prossegue, dando enfase ás estampas florais, que substituem o xadrez.








Os tons variam desde a delicadeza quarentista do champagne até a explosão setentista do colorblocking.
Entre as principais texturas estão o jacquard missoni, o ponto vazado e as nervuras.










Colorblocking


Os principais adornos serão laços e fitas funcionais, como numa amarração no pescoço ou no cós da calça, nada de laço somente enfeitando, ele tem de participar da roupa de forma ativa. 






Entre os acessórios mais desejados e ousados está a gravata borboleta, que será o must have de toda produção. Continuam os cintos finos marcando a cintura e os chapéus chegam ao estilo Sherlock Holmes entre boinas e cartolas.




Os oxfords continuam



Quem diria que em plenos anos 2000 as mulheres iriam se inspirar em seus maridos para se vestir? 
Soa até irônico, mas na verdade isso tudo gira em torno de valores antepassados da história da moda, mais especificadamente na década de 40, quando os homens saíram de suas casas para lutarem na Segunda Guerra Mundial e como muitos não voltaram, as mulheres viam-se dispostas a vestirem ternos com ombreiras para demonstrar imponência e poder na sociedade. Tomaram para si toda a responsabilidade de suas casas e foram em busca de trabalho, dignidade e estruturação social, isso tudo acarretou ao que hoje somos capazes, principalmente no quesito trabalho, liberdade de expressão e direitos iguais à ambos os sexos. 






Christian Dior devolveu a feminilidade perdida às mulheres quando criou em 1948 o New Look, que substituia a moda-farda por cinturinhas de vespa e saias fartas, moda a qual baseava-se na moda de 1860.




Por fim, não restam dúvidas de que o inverno 2012 será a releitura da luta da mulher na sociedade, do seu poder decisivo, do despertar da personalidade da alma feminina, da sensualidade, da nostalgia e da doçura. A transição perfeita entre fragilidade e poder







Coco Chanel com seu inconfundível tailleur, é sem sombra de dúvidas um dos maiores ícones de inspiração para o próximo inverno.




Bem meninas, é isso!
Inspirem-se bastante e preparem-se para as respostas prontas que darão aos seus maridos, namorados e irmãos quando se troparem na seção masculina em 2012. hehe
Adorei essas primeiras pinceladas no inverno de 2012, e vocês? 
Deixem seus comentários!

Beijos,
Ge Gotardelo.

Ocorreu um erro neste gadget