terça-feira, 19 de abril de 2011

Californication


Quem vivenciou a fase "Californication" da aborrescência sabe bem sobre o que vou escrever hoje...
Lembro-me tão claramente do estilo predominante daquela época que posso senti-lo com a mesma intensidade de 8 anos atrás! As bandas de garagem que nasciam. Os festivais. O Rock n' Roll tão predominante entre os jovens. Lembro-me das grandes amizades dentre os grupos, da inimizade entre eles, mas afinal de contas estavam sempre reunidos, todos nos mesmos lugares. O estilo Rocker era predominante, e consistia em calças jeans ou tactel largas; algumas meninas usavam jeans masculinos deixando á mostra a barra elástica larga da peça íntima. Exagerar nos braceletes e make bem dark também era válido! E claro, o All Star Tower Fashion em contraste com cores fluorescentes e mini saia estilo colegial era de lei. O estilo variava desde o largadão, tipo o skater boy da Avril Lavigne na fase inicial de sua carreira com o álbum "Let Go!" até o estilo anos 90 que inspirava os metaleiros cabeludos. No auge deste misto de estilo, Californication do Red Hot Chilli Peppers inspirou muita gente a encontrar o seu estilo alternativo em meio a uma sociedade composta por igualdade visual. No auge das bizarrices da Pitty algumas amigas e eu montamos uma "banda de domingos a tarde" que se chamava "Boa Pergunta" nos divertimos bastante com aquilo tudo. Boas lembranças. Nascia ali uma rebeldia explicitamente escancarada num estilo alternativo e incomum, principalmente nas mulheres. O All Star pixado com os nomes das bandas favoritas, ou assinaturas de amigos, era uma forma de expressar o que sentiam. Usar calças largas havia deixado de ser anti-fashion pra se tornar tendência primordial.  A doçura do romantismo deu espaço ao estilo Underground, que jogou um balde de tinta preta no cor-de-rosa, rasgou os babados e os transformou em taxas metalizadas. E eu? Sempre observando e participando de toda essa mudança de estilo, posso dizer, que foi em meio a toda esta mutação eufórica que fornicava e emanava de todo este misto, que eu me encontrei. No meio daquela multidão de opções, pensamentos e atitudes que levavam a cada um a insPIRAÇÃO pra compor um estilo propriamente único, percebi que eu poderia ser o que quisesse, sem deixar o "ser eu mesma" de lado.  Depois dos 15, me segurar dentro de mim foi absolutamente impossível!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget