sexta-feira, 29 de abril de 2011

Make me fine!



Após tantas mudanças no visual, hoje aos 21 anos, percebi que não posso mais mudar e voltar a ser uma pessoa só, visualmente falando.
Percebi que cada vez que acrescento algum adereço ao meu estilo, não estou passando por mudanças, mas sim ativando o meu molde, de todos os modos e em todos os moldes.




Após tanto me questionar sobre "Qual é o meu estilo?" cheguei a conclusão de que o meu estilo hoje, são todos os meus estilos. É um retrô da minha própria vida.
Por mais que os anos passem, por mais que meu corpo sofra modificações e por mais que a moda mude, aquela garotinha sardenta e cheia de arte manhas está viva em chamas dentro de mim. Foi de mãos dadas com ela que eu cheguei até aqui. E ela me ensinou a ter uma coisa que a moda nem sempre tem, estilo próprio, independente do que a moda dite.
Aos 8 anos de idade, aquela garotinha mostrou com artes psicodelicamente multicoloridas que ela já sabia o que queria ser quando crescesse. A jovem de 21 anos, hoje relembra tudo aquilo com um sorriso emocionado no rosto quando senta-se á mesa e desenha os seus croquis.
O fato é que jamais questionei-me sobre "Será que é isso mesmo que eu quero? Ser estilista?".
Eu sempre soube que a resposta é SIM, é como se eu fosse predestinada a isso, como se eu tivesse nascido para isso. E sinto queimando dentro de mim. Quando se trata de Moda, meus batimentos cardíacos disparam, minhas mãos soam, meu estômago fica cheio de borboletas, por que sou apaixonada por Moda.
Eu respiro, transpiro e inspiro Moda.
Eu vivo Moda. E se no final da minha vida eu descobrir que não fui oficialmente uma Estilista, então descobrirei que não vivi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget